fundo branco.png

Medo e ansiedade

Medo e ansiedade.png

Ter medo é absolutamente normal! Após a infecção por Covid-19 outras pessoas poderão dizer que não há porque se preocupar mais, pois já houve a cura da doença. Porém, pela experiência ruim de ter Covid-19, internação hospitalar e, em alguns casos, de ter ficado na UTI é justificável ter medo, sensação de angústia ou ansiedade.

Várias situações no dia a dia nos levam a ter medo. É um sentimento normal e, de certa forma, é uma proteção, pois evita a tomada de decisões que criam situações de riscos. Porém, algumas situações do cotidiano que nos trazem medo, apesar de ser ativa de maneira rápida, leva tempo até conseguirmos lidar com ele de maneira mais tranquila.
 
No caso de pacientes que precisaram de internação, durante o tratamento, o cérebro fez associações entre sensações físicas, imagens, cheiros e sons, e quando essas sensações são novamente ativadas, já em casa e fora de perigo, podem desencadear a mesma resposta de medo e ansiedade vivida no ambiente hospitalar.
 
Com o passar do tempo essas reações tendem a diminuir, mas há algumas atitudes podem atrapalhar esse processo:
 
●    Lembrar da situação traumática. Afastar pensamentos e imagens angustiantes de momentos difíceis é comum, mas há pesquisas que mostram que tentar não pensar geralmente tem um efeito oposto, ou seja, o fato de “ficar sem pensar” pode levar a lembrar cada vez mais do ocorrido;
●    Ter atenção excessivamente focada nas sensações do corpo. Nesse momento tendemos naturalmente a nos concentrar naquilo que nos traz medo, e ao prestarmos mais atenção em uma região ou sensação específica do corpo poderá levá-lo a se focar em percepções que antes não notaria. Além disso, elas se tornam maiores do que realmente são.
●    Ficar frequentemente verificando um sinal ou sintoma que possa estar sentindo. Um exemplo é verificar a saturação frequentemente, que se estiver em níveis normais, podem ser estabelecidos intervalos regulares entre as checagens e aumentá-los com o passar dos dias. Ao perceber alguma sensação nova e que preocupe, observe e comente com um familiar avaliando a necessidade de contactar um médico.

Por outro lado, há atitudes que podem contribuir para amenizar a ansiedade e o medo:
●    Ao ter uma dessas sensações faz bem manter-se ocupado e iniciar uma atividade que te proporcione prazer;
●    Retornar gradualmente as atividades rotineiras que foram evitadas por conta de ansiedade e preocupações podem ajudar a controlar o medo.
●    Iniciar a prática de meditação e tirar um tempo para relaxar, pode ser difícil no início, mas ajudarão a controlar estes sintomas.

É importante conversar com o médico se sintomas de ansiedade e medo não estiverem controlados ou se estiverem piorando. O médico poderá orientar indicando o melhor tratamento com o apoio de uma equipe multidisciplinar.
 

Clique nos sintomas

Falta de ar

Tosse

Fadiga e cançaso

Alteração de memoria

Dificuldade de engolir

Sem apetite

Alteração do sono

Medo e ansiedade

Olfato e paladar