Recuperando do Covid-19

recupera%C3%A7%C3%A3o%20covid_edited.jpg
fundo branco.png

Apesar da infecção por Covid-19 ser uma doença nova, já sabemos que a recuperação dependerá de fatores como a gravidade dos sintomas, a existência de outros problemas de saúde, a necessidade de internação hospitalar e período em UTI.
 
Alguns sintomas podem desaparecer rapidamente ainda na fase aguda da doença, enquanto outros podem se arrastar por muito tempo, até por meses. Seja paciente, pense em seguir em frente de forma gradual e constante e, se precisar, peça apoio a família, amigos e médicos.
 
Em caso de hospitalização devido à infecção por Covid-19 é comum que os músculos estejam mais fracos do que o normal e, certamente será percebida uma menor aptidão física. Mesmo que não tenha tido a necessidade de internação, o paciente também poderá estar debilitado e o  retorno à rotina deverá ser gradativo.
Nesse início as tarefas cotidianas serão mais exaustivas: subir e descer escadas exigirão mais esforço, fazer uma caminhada curta até mesmo dentro de casa trará cansaço.
Essa situação não deverá ser um empecilho para iniciar a reabilitação e exercícios. No início será normal sentir muito cansaço e falta de ar, mas com a regularidade e orientação adequada, os sintomas ficarão cada vez menores e ainda haverá melhora da dor e rigidez articular, promovendo a recuperação da força muscular.
 
Iniciar um programa de reabilitação depois de ter Covid-19 ajudará na saúde física e mental.

Em casa, algumas atitudes podem ajudar a retomar as atividades:

●    Comece com períodos curtos e com estímulos que se sinta confortável em realizar sem atividades exaustivas;

●    Não espere ser possível fazer tudo de uma vez ou no ritmo de antes da contaminação. Uma maneira que ajudará a não exagerar, é fazer menos do que pensa que pode;

●    Faça intervalos de descanso regulares, no início opte por intervalos maiores até que se sinta recuperado;

●    Reduza gradativamente o tempo sentado ou deitado e faça intervalos regulares com atividades pela casa. Seja caminhar, levantar e sentar algumas vezes em uma cadeira;

●    Estabeleça pequenas metas diárias. Prepare uma refeição, troque de roupa, por exemplo. Tarefas simples, no início da recuperação, demandarão muita energia e esforço;

●    Faça períodos curtos de caminhada ao longo do dia, mesmo dentro de casa. Caminhe entre os cômodos por cerca de um minuto, descanse e ao se recuperar, faça o trajeto novamente;

●    Se a condição permitir, é indicado fazer uma caminhada diária por alguns minutos, encarando-a como um passeio e aproveitando para se distrair no caminho. Tenha uma companhia até estar confiante para sair sozinho;

●    Sempre que precisar pare para descansar. Não se preocupe se isso acontecer, é gradativamente que o condicionamento será recuperado;

●    É normal sentir-se cansado depois da atividade, algumas vezes até com mais dor muscular. Isso é um processo normal que pode acontecer após um estímulo dos músculos;

●    Registre as atividades diárias e anote para acompanhar o progresso. Em alguns dias o paciente poderá se sentir mais forte e melhor do que em outros, mas é importante não desanimar e desistir,  o esforço será o principal “motor” para a recuperação.

Sempre faça as atividades com segurança e com orientação. O médico definirá quais as limitações e qual estímulo é melhor. Da mesma forma, ter o apoio de um fisioterapeuta ou educador físico qualificado ajudará a montar um programa de exercícios individualizados para o máximo de benefícios e menor risco.